InícioFAQBuscarPortalMembrosRegistrar-seConectar-se
As listas oficiais de Aprovados e do Provão foram divulgadas!
Professores! Verifiquem suas caixas de mensagem.
Fiscalização das Famílias Médias e Grandes Divulgada: Aqui!
Não deixe de votar no seu professor preferido para Professor Destaque, votação aberta até 21/05!

Compartilhe | 
 

 Família McFlont McQueen

Ir em baixo 
AutorMensagem
Isabellah Celesty Schwarz
Ex-administrador
Ex-administrador
avatar

Bicho-papão : Adiministradora ^^

Perfil de Quest
Escola/Casa: Sonserina
Ano Escolar: Concluído
Varinha:

MensagemAssunto: Família McFlont McQueen   Dom 4 Set 2011 - 17:20



Nome da Família: McFlont McQueen
Endereço: Dublin – Irlanda
Chefe da Família:  Christian McFlont Looken
Membros da Família:Allegra Lewis McFlont, Amália Dragunov McFlont, Andrew C. M. Richmond, Athena Dragunov McFlont, Bia Mason McFlont, Charlise Kosey McFlont, Christian McFlont Looken, Conner Devereaux McFlont, Danielle L. McFlont, Derek McBride Chandler, Dwayne Chandler McFlont, Fabrizio Gyll. McFlont, Frederick Argent McFlont, Gabe Donovan Scharatter, Griff Miller Hyeras, Joe McFlont Iazetto, Johanna Gyll. McFlont, Kai McBride W. McFlont, Lana Herondale McFlont, Lara Mermaid McFlont Laura A. McFlont Looken, Leo M. Falkenrath, Lisa Habsburg McFlont, Logan Petrovich McFlont, Louis M. Bourbon, Malese Blake McFlont, Matteo McFlont A. Hansen, Megan McFlont Looken, Michelli Dosseau McFlont, Miku D. N. McFlont, Petric F. M. Donati, Petric F. M. Donati, Piper McFlont A. Hansen, Richard McFlont Richmond, Romee McFlont Kosey, Sebastian L. McFlont, Serena Eltz McFlont, Suli Effie M. Donati, Tamy M. L. Donati, Temperance Hool McQueen, Tyson Mc. B. Donatelle,

Elfo Doméstico:  Mogli e Poppity(NPCs)

História da Família:Há décadas a família McFlont se iniciou. Seu nome propriamente dito era outro, sendo este denominado McQueen, mas o sangue nunca teve mudança. A nova geração foi denominada assim após um consenso entre a maioria dos anciões da família, sendo Jeromy McQueen o único a se opor a essa mudança. No século XVIII, surge o primeiro McFlont; quer dizer, o primeiro Flitwick. Este, perspicaz, inteligente e de porte elegante, teve lugar garantido na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Aldrick Flitwick, o tal aluno, fora escolhido para a casa Corvinal e, desde que pisou pela primeira vez no castelo, demonstrou dominar magia defensiva. Sendo aluno destaque em Feitiços e Transfiguração, sempre conquistou o carisma de seus professores e colegas. Logo, em seu sexto ano, se enamora com Mathilda Adams, com quem, após concluir seu ensino básico, casa-se e dá sequência à linhagem. Muitos são os feitos da família. Mathilda, como matriarca, era ministerial em um ancestral setor de Relações Internacionais do MM. Já Aldrick recebeu o título de Ordem de Merlim – 1ª Classe, diante da descoberta de uma barreira mágica, denominada campo consanguíneo. Seus filhos, Evangeline, Adalwin, Áed e Agnes, nascidos nessa mesma sequência, puxaram muito a inteligência dos pais. A primeira conhecia ciclos de colheita melhor do que qualquer campesina de sua vila. O segundo era um ótimo ferreiro e tinha pleno domínio sobre magias elementais, principalmente as relacionadas ao fogo. O terceiro tinha dom para caça. E a caçula fazia dos animais, principalmente os voadores, seus melhores amigos: conversava com eles, sendo boa Anicôncia. Apesar da mãe dos quatro fazer parte do MM, deixa-se claro que a instituição não denotava tamanho luxo, quanto nos dias atuais, a seus integrantes. Desta forma, a família vivia em regime rural, embora possuísse um grande casarão com um criado. Os filhos de Mathilda e Aldrick deram seguimento às gerações até chegar aos irmãos Bartholomew e Angela Flitwick, a qual não teve filhos. Já no século XX, em uma viagem pelos Montes Urais, Barth (como era apelidado) conheceu Griselda дас Мінас, goblin pura. Sentindo uma diferente e forte atração pela baixa mulher, teve um filho com ela: Filius. O garoto, talvez por conta da junção de raças mágicas, desde jovem se mostrou muito interessado em magia e tão logo ingressou em Hogwarts. O Chapéu Seletor teve certa dúvida sobre a casa a que o menino pertenceria: estava entre Corvinal e Grifinória. Mas, por fim, levou-o a frequentar o lar das águias. Certa vez, conversando com uma jovem Minerva McGonagall, descobriu que ela poderia ter sido colega de casa, junto dele. A passagem dos anos, então, foi rápida, e o mestiço se mostrava um estudante modelo. Em Duelos foi campeão; mais tarde, tornou-se professor de Feitiços e diretor da Corvinal. Como grande feito, participou da Batalha de Hogwarts, na Segunda Guerra Bruxa, na qual seus aliados saíram vitoriosos. Voltando a história de Bartholomew, o homem não recebeu apoio dos pais para continuar seu relacionamento com Griselda, o que lhe obrigou a deixá-la para procurar uma esposa digna na opinião paternal. Arrumou, logo, Ailey. O casal teve três filhos, nesta ordem: Flont, Alice e Thomas, todos mágicos, dos quais o primogênito deu início à linhagem mais recente da família. Partindo do costume irlandês do sobrenome ser Mc [filho(a) de] mais o nome do patriarca, seus filhos Brendt e Gwen já adotaram o sobrenome McFlont, atualmente usado. Gwen, então, teve dois filhos com o ministro Arthur Richmond: Alan e Rogery. E assim começa a mistura de famílias e os McFlont estão formados.

E o como os McQueen ficaram nisso tudo? É o que deve se perguntar, a resposta é simples, nem todos costumam deixar os costumes de lado e um dos patriarcas, Jeromy McQueen, decidiu manter seu sobrenome, honrando aos pais e o sangue que tanto amava. E, assim, se desvencilhou dos Flitwicks no exato momento em que a alteração foi feita, mantendo os registros de seus filhos: Cedric e Paloma como eram originalmente (Roosdale McQueen). Os McQueen se mudaram para uma vila situada no interior da Irlanda, chamada Gortahork, onde se estabeleceu com sua família e iniciou novos tempos de prosperidade e trabalho para os McQueen. Tudo isso acabou tornando Cedric, responsável pela perpetuação de sua linhagem, o jovem foi um ótimo estudante da Sonserina, ganhando as atenções de todos por ser um bom aluno em Transfiguração, como era comum ao ramo McQueen/Flitwick (ou McFlont,  como preferir) e logo se destacou, assim conquistando os olhares de Adalind Crowley, outra Sonserina poderosa, porém na área de Poções e História da Magia. O fruto dessa relação entre Alaind e Cedric seguiram os passos dos pais, sendo exímios sonserinos e bem engajados na casa, os jovens: Górki e Nowak, gêmeos idênticos, logo começaram uma pequena tradição ente eles nas competições de Rimas de Feitiços, um ramo da Transfiguração bastante difícil de ser trabalhado, pois não basta apenas a rima, precisa-se de foco e apuro mágico também. Em uma dessas Górki conheceu Christina Yang, uma garota com raízes asiáticas e que tinha vindo para a Europa recentemente e assim surgiu uma relação que produziu jovens bruxos bastantes competitivos e focado em darem o seu melhor, porém, ao oposto dos primeiros McQueen, estes foram estudar em Mahoutokoro, tornando assim a linhagem dos McQueen mais afastada dos olhares europeus, Kakashi e Tomoyo foram os responsáveis por um novo núcleo de McQueens, que passou a ficar mais omisso que os seus originários. Visto que Nowak foi acometido por uma doença bruxa que afetou sua fertilidade, apesar de seu longo casamento e cheio de amor com  Edna Parvati, eles nunca chegaram a terem filhos biológicos, mas acabaram adotando um jovem sul-africano chamado Ekko, sendo este o jovem que mais se destacou na questão dos estudos bruxos, se tornando um notável historiador bruxo. Ekkon veio a ter uma relação de pouco mais de um ano com Yeva Pankovich, uma autora de contos bruxos, que compartilhava com ele o amor pelas histórias bruxas. Essa relação acabou gerando um fruto, conhecido como Alok Pankovich McQueen, porém Yeva veio a falecer por complicações pós-parto, dias após dar a luz ao seu único filho. Ekko então deixou o jovem Alok com seus pais e veio a se fechar para o mundo a sua volta, se rodeando de livros e mais livros, onde podia reencontrar sua amada vez ou outra  por conta das histórias compartilhadas. Alok foi o responsável por manter os McQueens vivos, mesmo que em baixo radar, no lado europeu da família. Nos dias atuais, os descendentes de Alok mais conhecidos são Hugh Brunswichk McQueen, pai de Temperance Hool McQueen e Lorah C. Hool McBride, e Jordan McFlont, pai de Gabe Chandler McQueen e Derek Chandler McQueen.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Família McFlont McQueen
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Primeira Seção-
Ir para: